E me recordo especialmente de como você me olhava e me beijava, sempre, como se fosse a última vez. A gente nunca se despediu de qualquer jeito. Era sempre como se aquele "tchau" não fosse um "até logo" e, sim, um "adeus".

Como se fosse a última vez


Permita-me te dizer a verdade, ainda que tardiamente. Você é, sim - e foi -, muito moleque.

Não seja moleque



2
Pela última vez, eu chorei por você. Eu chorei por nós. Eu chorei pelo que fomos. Pelo que não fomos. Pelo que seríamos. Pelo que poderíamos ter sido. Pelo que queríamos ser.

Pela última vez, eu chorei por você


Ela sentia um vazio a cada dia maior. Ele sentia-se possuído pela solidão. O abismo entre os dois só fazia aumentar. O "felizes para sempre" havia se transformado em prisão perpétua.

Estranhos



Eu sou, mesmo, uma pessoa de extremos. Eu sou a personificação do exagero. Por aqui, intensidade é a palavra de ordem. Porque, sim, eu vivo - e sinto - sem moderação. Eu não sei viver no morno, no médio, no razoável. E, sim, eu me jogo. De cabeça. Porque, se for para cair, eu me quebro; mas, se não, eu voo.

Exagerada


Mas acontece que um dia eu percebi que tuas medidas não me serviam. Que respirar você me sufocava. Que tuas verdades não me sustentavam. Que meus olhos podiam, sim, enxergar além dos teus. Eu compreendi que, realmente, eu não era boa o suficiente para você. Porque eu não era para você. E resolvi que não queria mais me sentir desproporcional, desajeitada, descabida.

Descabida



1
Eu não te perdoei por ter feito de tudo para me conquistar, sendo que o que eu menos queria naquele momento era me entregar a alguém. Eu não te perdoei por ter me feito baixar a guarda e admitir que eu estava nas tuas mãos. Eu não te perdoei por ter me levado à loucura - e por ter se recusado a enlouquecer junto comigo.

Eu não te perdoei


1
Ir embora nunca é fácil, mas às vezes é necessário. Fundamental, até.

Ir embora



Eu fracassei em tentar resistir. Fracassei em tentar não me apaixonar. Fracassei de diversas maneiras...

Eu fracassei


1
Entre quatro paredes, nós somos tudo, menos amigos. Somos suor, respiração ofegante, lençóis bagunçados, roupas espalhadas pelo chão. Somos noites intermináveis e cervejas que se esvaziam para saciar nossa sede. Cá entre nós, somos corpos que se encaixam e se procuram. E se encontram. No nosso íntimo, eu não sou […]

Eu não quero ser teu amigo