O que eu queria dizer no Dia Internacional da Mulher

Eu queria ter a competência de escrever um texto digno sobre o Dia da Mulher. Um texto que realmente representasse esse imenso e complexo universo que é ser mulher. Um texto que fizesse justiça a todas as mulheres maravilhosas que já transformaram e seguem transformando o mundo. Um texto que, de uma vez por todas, entrasse na cabeça das pessoas e fosse capaz de conscientizar aqueles que ainda nos oprimem.

Mas, já que não tenho a capacidade para tal feito, neste dia 8 de março vou fazer diferente: vou deixar meus votos por um mundo mais justo, por um mundo onde ser mulher não precise ser um fardo. Vou desejar que a gente não sofra mais discriminação ou preconceito por ser mulher. Vou desejar que a gente não sofra mais violência, seja ela física ou emocional.

Neste 8 de março, eu desejo que a gente não tenha mais que sentir medo quando andar sozinha na rua. Que sejamos valorizadas pelo que somos, e não pela nossa aparência. Que não sejamos medidas pelo tamanho da nossa saia. Que tenhamos igualdade de direitos, que sejamos de fato donas de nossas vidas, sem julgamentos externos. Que possamos decidir por nós mesmas, e não pelo que a sociedade acha certo ou bonito. Que sejamos reconhecidas e respeitadas, em todas as esferas – dentro de nossos lares, no ambiente de trabalho e na rua.

Neste Dia Internacional da Mulher, quero deixar o meu abraço a todas as mulheres que já choraram e sofreram caladas e que se sentiram sozinhas, desamparadas, esgotadas. Ainda temos muito o que lutar. Ainda temos muito o que brigar pelo nosso espaço. Mas que não tenhamos medo. Que não nos deixemos abalar. Que não nos esqueçamos de tudo o que já conquistamos até aqui e tenhamos a persistência e a determinação de seguir em frente. Que um dia, esse mundo seja um lugar seguro e aprazível para todos, independentemente do gênero.

Comente!